' Falta tanta coisa na minha janela como uma praia, falta tanta coisa na memória como o rosto dele*, falta tanto tempo no relógio quanto uma semana, sobra tanta falta de paciência que me desespero. Sobram tantas meias-verdades que guardo pra mim mesma*, sobram tantos medos que nem me protejo mais, sobra tanto espaço dentro do abraço, falta tanta coisa pra dizer que nunca consigo..

domingo, 12 de setembro de 2010

Livros.


Livros, livros, livros e mais livros. Minha paixão por livros tem aumentado de maneira muito intensa. Lembro até hoje do dia em que ganhei uma caixa de brinquedos da minha tia. Ela estava me dando alguns brinquedos que minha prima não brincava mais. No meio destes brinquedos havia um livro. Sem capa, sem título, sem introdução. O livro já começava no primeiro capitulo. Contava a história de um mico leão dourado e outros animais na floresta. Até hoje eu não sei o nome do livro. Mas eu li aquele livro umas quatro vezes (só naquele ano). De todas as coisas na caixa, a que mais me interessou foi este livro. Maltratado, sem capa, rabiscado, mas eu parecia prever que algo ali era melhor do que aparentava. Algum tempo depois tive que ler um livro para fazer uma prova na escola, Missão no oriente do Luiz Puntel.


Confesso que não queria ler. Era para um prova na escola e como todas as coisas ordenadas na escola a gente tende a reclamar e resistir. Mas eu li. Li e reli. Li de novo até depois da prova. Me apaixonei pela Coleção Vagalume e não via a hora de chegar outra "prova do livro" para que minha mãe tivesse que me comprar outro livro. E li muitos outros, cheguei a roubar um livro da biblioteca uma vez. Não que eu me orgulhe disso, mas realmente aconteceu.
A verdade é que consigo devorar um livro em três dias. E sinto tanta falta quando não leio, da vontade de sair correndo e gritando até a livraria mais próxima. Nunca me convide pra entrar em uma livraria, juro que não consigo sair de lá tão cedo. Passo pelo menos 1 hora lá dentro, namorando e escolhendo todos os livros que eu ainda vou ler.



Quero tantos, quero quase todos. Meu sonho é ter uma biblioteca em casa, já contei isso? Um escritório super confortável com tanto, mais tanto livro que se torne uma biblioteca. Acho que passaria dias lá dentro.

Morro de ciúmes dos meus livros, é tal qual um caso de amor mesmo. Não que eu não tenha ciúmes de outras coisas que eu tenho, por exemplo, minha série favorita, eu não empresto pra ninguém. Mas meus livros, ahhh... esses eu não gosto nem que relem na capa. Eu até empresto alguns, mas fico rezando para que nada aconteça com eles. Uma vez emprestei um livro novinho para um amigo meu, eu nem tinha lido ainda mas como estava lendo outro e ele prometeu que devolveria rápido emprestei. O menino demorou 500 anos para devolver, e quando devolveu, devolveu cheio de orelhas, amassados, e a capa... meu Deus... a capa, estava cheia de marcas e coisas. As páginas sujas... eu queria morrer. Na verdade eu queria matá-lo, mas isso não traria meu livro de volta. Agora toda vez que eu empresto algum, passo todos os dias até ele voltar para casa sofrendo antecipadamente. Isso quando eu empresto. Na maioria das vezes tenho uma desculpa na ponta da língua e não deixo ninguém nem se aproximar.

Eu não sei de onde surgiu todo esse amor. Eu leio alguns livros na internet, mas não é a mesma coisa. Sinto falta daquele contato. Do cheiro de livro novo, de segurar, passar a mão na capa, sentir ele pertinho de mim. Consigo estimular minha imaginação facilmente lendo no computador, mas fica faltando aquele contato, aquela sensaçãozinha gostosa de segurar um livro em suas mãos. Aquela troca que um computador nunca te possibilita.



Se tem uma coisa que eu recomendo para o mundo é a leitura. Todo mundo devia ler. Todo mundo devia amar livros e suas histórias. Eu consigo ir tão longe sem ao menos ter saído do quarto. Consigo ter tantas emoções e sentimentos diferentes numa mesma página.


Ler um livro é ótimo, mas SENTIR um livro, não existe algo que possa se comparar a isso. Tem histórias que parecem escritas pra você, ou por você. Desligar-se do mundo e aprofundar-se no mundo dos livros é maravilhoso. É uma das coisas que eu mais amo. Talvez por isso eu seja assim, mais imaginário que realidade.


E por falar nisso, passou da hora de agarrar meu livro novo e só soltar quando eu terminar :)

Beijo pra quem fica ;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário