' Falta tanta coisa na minha janela como uma praia, falta tanta coisa na memória como o rosto dele*, falta tanto tempo no relógio quanto uma semana, sobra tanta falta de paciência que me desespero. Sobram tantas meias-verdades que guardo pra mim mesma*, sobram tantos medos que nem me protejo mais, sobra tanto espaço dentro do abraço, falta tanta coisa pra dizer que nunca consigo..

terça-feira, 29 de maio de 2012

Corinthians X "Antis"

Tudo bem, muitos de vocês devem estar tentando justificar esse post com aquela velha e tipica frase: "ela é mulher e não entende nada de futebol"! Embora eu conheça muitas mulheres que entendem mais de futebol do que muitos homens, admito, este não é o meu caso. Dediquei minha vida a outras coisas (do meu ponto de vista, mais interessantes) do que a escalação e toda a trajetória do meu time favorito. Porém, pra falar sobre este assunto você não precisa entender muita coisa, basta ser um pouquinho inteligente (e realista).


Ultimamente, milhões de "loucos" (e digo loucos literalmente) tem postado frases, fotos e textos enfatizando o quanto são grandes e o quanto são odiados por todos! - Ohh, que legal... vocês realmente são o máximo, caras! ¬¬ De fato, muita gente odeia os Corinthianos, e talvez, este seja um dos principais motivos. Taí uma torcida que tenta se gabar somente com o número de torcedores. E mais ainda, tentam se engrandecer dizendo que todos os outros torcedores no mundo (de todos os outros times) perdem seus preciosos tempos vivendo em torno deles. Primeiro que "todos os outros torcedores do mundo" envolve literalmente o mundo, e sinceramente, todos nós sabemos que eles são pouco conhecidos lá fora! Segundo que todos nós odiamos Corinthianos, da mesma forma que odiamos Santistas, e Palmeirenses, e qualquer outro time que não seja o nosso. A diferença é que uma piada com qualquer outro time, gera uma, duas risadinhas, no máximo... já uma piada com Corinthiano, gera toda uma polêmica praticamente eterna porque ELES fazem com que seja assim! São arrogantes e A-DO-RAM menosprezar os outros times, sem de fato terem méritos pra isso. E é ESSA a grande graça. E o motivo de tanta revolta! Qualquer pessoa que goste de futebol em algum momento bateu de frente com algum Corinthiano que não aceita DE MANEIRA ALGUMA qualquer critica que seja feita a respeito do seu clube. Todos nós (São Paulinos, Santistas, Palmeirenses e qualquer outro time grande de São Paulo, ou de qualquer outro lugar) aceitamos e reconhecemos quando nosso time está uma porcaria. E embora a gente deteste, não vamos perder um dia de vida porque tem algum filha da put* falando mal do nosso time. Mas falar mal de Corinthiano é como iniciar o Apocalipse. Tá pra nascer racinha mais teimosa e cabeça dura. Mas o foco principal desse post não é esse. Na verdade, eu tô cansada dessa hipocrisia de "Aqui é Corinthians, Chupa Antis"! Existe coisa mais hipocrita do que um Corinthiano falando que todos os outros times são Antis?!? Futebol é futebol, meu amigo. Quando o meu time tá bem no campeonato, vai disputar uma final, ou qualquer coisa do tipo.. você também perde seu "precioso" tempo "zicando". Você também torce contra, você também não quer que a gente ganhe! Só por isso você é um Anti?!? Me poupe, né?!? 

Eu particularmente passei a "odiar" o Inter por ter eliminado (algumas vezes) o meu time da Libertadores. Isso me tornou uma Anti-Inter?!? Qualquer time que bata de frente com o meu, que os torcedores fiquem me infernizando com as mesmas ladainhas de sempre, eu vou passar a detestar e querer vencer sempre, e desejar fielmente que eles percam todos os campeonatos possíveis e impossíveis. Porque é isso que a gente deseja pra quem acaba nos vencendo, está disputando um campeonato que não estamos, ou esta prestes a ganhar algum título que por motivos óbvios, nós não ganharemos. Ou no caso dos Corinthianos, o simples fato deles serem arrogantes e insuportáveis já basta. Todos nós desejamos que o outro time quebre a cara tendo que engolir palavra por palavra, letrinha por letrinha, de tudo o que disseram durante o campeonato inteiro. E isso não é uma coisa tipica de torcedores de outros times que não seja o Corinthians, meu amigo. Isso, é caracteristica de Corinthiano, São Paulino, e o raio que o parta. Qualquer torcedor apaixonado pelo seu time, quer mais é que os outros explodam (e percam, sempre)! O time que você escolheu para torcer sempre vai ser o melhor, seja por isso, ou por aquilo. Então parem com essa hipocrisia de Anti-Corinthians. Vocês também são Antis todos os outros clubes que infernizam a vida de vocês! 



Quantos jogos meu time perdeu e um milhão de Corinthianos vieram me encher o saco?!? Que foi?!? Tão dando ibope pro meu time?!? Vocês não são Antis, estão comemorando essa derrota por que?!? Eu não tenho nada contra o Corinthians, até porque, comparado ao tanto de títulos que tem o meu time, o Corinthians não é ameaça NENHUMA. Mas o mundo seria muito melhor sem Corinthianos. Não pelo futebol, mas por essa mania idiota e hipocrita de acreditarem que são os melhores do mundo só porque tem "amor ao clube" e sei lá quantos milhões de Antis! Eu também amo meu time! Um monte de gente ama os seus times. Se não houvesse amor, não haveriam torcidas. Se não houvessem torcidas, não haveria rivalidade e não precisaríamos torcer contra qualquer outro time. Sem rivalidade, não haveria futebol e ponto final. Então meu Gambázinho, sinto te desapontar, mas você não é o unico com amor a camisa! Nem o unico odiado durante os campeonatos. Vocês podem ser maioria, isso sim, eu reconheço. Mas isso não significa que por isso vocês são os melhores! Primeiro que pra ser considerado o melhor, é preciso avaliar muitos outros fatores. E nesse caso, vocês estão muito (muiiito) longe de alcançar o primeiro lugar. Segundo que, a maioria do mundo hoje em dia é consideravelmente podre. Os bons são minoria! Lei da vida, se aplica a todas as coisas, inclusive a sua "imensa" torcida! (desculpa, mas não podia perder a oportunidade!)


Já assisti jogos do Corinthians torcendo pra que eles perdessem, da mesma forma que muitos amigos meus (Corinthianos) assistiram jogos do São Paulo, torcendo pra que ele perdesse. Então, por favor... chega dessa hipocrisia de Corinthians X Antis. Todo mundo aqui, sabe que qualquer torcedor, de qualquer time, vai torcer contra qualquer um que é consideravelmente um rival. E isso, todos nós somos, meus queridos. Do contrário (Corinthiano), senta seu "bumbum goidinho" na cadeira e finge não se importar quando o São Paulo, o Palmeiras, o Santos ou qualquer outro time que seja considerado seu rival ganhar a próxima Libertadores! Duvido que você não vá (se tornar um "Anti", como vocês adoram dizer, e) torcer contra!

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Segundas chances nunca dão certo.

Eu apostei errado. E o que mais dói é reconhecer isso. Não é pela perda do tempo ou do investimento. É pela perda da história toda. Aquele momento em que eu paro e me pergunto se não teria sido melhor se nem tivesse tentado. Me alertaram sobre segundas chances e esse nosso modo requentado de fazer as coisas. Não dei ouvidos a eles e me cansei no exato momento em que disseram que a nossa engrenagem já tinha enferrujado porque passou muito tempo sem funcionar. Fui mais teimoso ainda e tentei mais uma vez. À força. Na marra. Com vontade e empurrões até as coisas voltarem a girar no tranco. Amor que já passou é meio como aquela camisa velha que a gente ainda guarda com carinho. Não é mais bonita como antes, não cai tão bem quanto antes e também não tem mais tanta utilidade assim. A gente vestiu por algum tempo, deixou que todos nos vissem com ela, passou por bons e maus momentos com ela. E daí ela simplesmente foi tirada da gaveta de cima e colocada no fundo do armário. Mas a gente não descansou. Foram algumas fotos e talvez o sorriso machucado do outro que aparecia de vez em quando. Foram as notícias de que você ia bem, obrigado. Foi saudade e a vontade de ter você aqui de novo. A gente alongou aquele ponto final e forçou um pouco o espaço para fazer caber algumas reticências. E a camisa velha? Se a gente ainda tirar do fundo do armário onde ela está escondida, a gente vai se agarrar. Nos agarramos. Maldito conselho. Maldito destino. A gente se baseia o tempo todo no otimismo das segundas e terceiras e quartas chances. Só que chega uma hora que a gente precisa admitir que não dá mais. Que acabou. Que o nosso amor requentado já passou da validade e não serve mais pra ser usado de vez em quando. O algodão da camisa é familiar, o conforto é melhor do que qualquer outro tecido e existem lugares e lembranças embutidos naquela peça de roupa. Deveria jogar fora de uma vez por todas. Mas não sei se eu consigo jogar fora assim. O apego quer que eu continue vestindo essa camisa pelo tempo que ainda puder. O problema é olhar pra você e dizer que eu vou embora. E te encontrar por aí amanhã com aquele olhar de quem acreditou mais uma vez em nós. Como se eu tivesse feito uma promessa furada. Como se eu não tivesse perdido nada nessa decisão. O problema é pensar que o erro foi duplicado. E dividido por dois. Eu e você na corda bamba das segundas chances cheios de boas intenções. O pior nem é o erro mesmo, a gente sabe. O pior é o acerto que não foi revogado, convocado de volta ao fundo do armário. E agir como dois conhecidos que compartilharam duas vidas. Uma tentativa e um outro fracasso. A dor agora é dor repetida. A sensação que acompanha o empacotamento das caixas mais uma vez. A gente já viveu isso e repetir parece duplamente doloroso. Se não bastasse o rumo, a gente tinha que perder o jeito? Segundas chances deveriam vir com um aviso de “Cuidado. Frágil!” na caixa de entrega. E deveria ser proibido que nos dessem outras chances além dessas. Nossos contos não foram feitos para serem revividos, nem reinterpretados. Mas amor interrompido tem dessas coisas de remendo. Ficam as sobras, a gente costura. Ficam as sombras, a gente esconde. Fica a falta de novidade e a gente aprende a viver de velhas notícias. Mas amor mesmo é aquele que desperta a gente todo dia. Exige frescor e não suporta repeteco. Dessa outra vez, eles não alteraram o script. Deram uma série conhecida pra gente interpretar. Você conhece as cenas e eu também. Mas a gente não admite que o final esteja ali, tão certo como no roteiro. A gente bateu o pé e tentou mudar o rumo. E ficamos apenas na tentativa.


Texto original em: http://entretodasascoisas.com.br/2012/05/08/segundas-chances-nunca-dao-certo/#more-