' Falta tanta coisa na minha janela como uma praia, falta tanta coisa na memória como o rosto dele*, falta tanto tempo no relógio quanto uma semana, sobra tanta falta de paciência que me desespero. Sobram tantas meias-verdades que guardo pra mim mesma*, sobram tantos medos que nem me protejo mais, sobra tanto espaço dentro do abraço, falta tanta coisa pra dizer que nunca consigo..

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Por que?

Ele não é nem um terço da pessoa que você sempre sonhou. Faz coisas que você não aprova, pensa de um jeito que não bate com o seu. Deixa a desejar em muitos sentidos, mais te machuca do que acrescenta. E mesmo sabendo de tudo isso, você continua ali, disponível. Agora eu te pergunto, por que? Quando a chave não serve temos que trocar a fechadura. Não adianta insistir, forçar, tentar abrir de outro jeito. Não adianta tentar com carinho, ser paciente, perder horas, dias, meses com uma tática infalível. Na verdade, até se arrombarmos a porta, ficarão apenas marcas de destruição. E esse relacionamento é praticamente a mesma coisa. Você perde tempo insistindo em algo que nunca dará certo, força coisas que não acontecem e acaba sempre caindo na mesma questão: por que? É como se algo dentro de você gritasse implorando por uma resposta e ouvisse apenas o som de sua própria voz, cada vez mais alto, ecoando: por que? Ele não é maduro o suficiente. Ele não é nada "o suficiente". Acho até, que o sentimento não é suficiente. E ainda assim, você não encontra respostas do por que ainda está lá. Você se pega apelando para aquela teoria antiga, fazendo uma lista de qualidades e defeitos, pontos positivos e negativos, o que te faz bem e o que te faz mal... E ainda assim, não consegue entender o por que?

Qualidades         Defeitos
    ???                    Imaturo
                            Mentiroso
                           Irresponsável
                              Grosso
                            Acomodado

Embora você tenha passado mais de uma hora tentando encontrar coisas que você admira, sua tentativa foi falha. Mesmo chorando você parte para a segunda tabela:

Pontos Positivos     
Você tem alguém que você pode contar.
Você tem alguém pra dividir seus finais de semana e sua vida.
Você tem alguém pra amar. (oi?)

Pontos Negativos
Você acredita mesmo nestes pontos positivos?

Quantas vezes você precisou conversar e não teve coragem de ligar? Quantas vezes você precisava de um abraço e não tinha nem com quem conversar? Quantas vezes você precisou de pelo menos 5 minutos de atenção e foi dormir chorando sem saber o que esperar? Isso é relacionamento? Isso é ter alguém para amar?

Numa tentativa desesperada, você apela pra terceira e ultima tabela. 

O que me faz bem
Eu adorava quando ele me mandava um monte de SMS, dizendo que tava com saudade, que eu era linda, ou desejava bom dia.
Eu adorava quando ele me surpreendia com um presente bobo, um sonho de valsa, um ursinho de pelúcia.
Eu adorava quando a primeira coisa que ele fazia ao sair do trabalho era me ligar, pra me contar como foi seu dia, todas as coisas que eu nunca cansava de escutar.
Eu adorava quando nós conversávamos por horas seguidas, falávamos sem parar.
Adorava quando ele me fazia sorrir, mesmo quando tudo o que eu mais queria era chorar.
Adorava a paz que eu sentia cada vez que ele me abraçava.
Adorava esperar ansiosamente pelo final de semana pra poder  ficar um pouquinho mais perto dele.
Adorava quando a gente não aguentava de saudade e se via no meio da semana.
Adorava como ele era fofo e sempre parecia se importar.
Adorava o tanto que ele se esforçava pra me entender, e tudo o que ele fazia pra me agradar.
Adorava sentir que a gente realmente tava apaixonado.
Adorava acreditar no que ele sentia. Acreditar que nunca ia mudar.
Adorava o fato dele ser diferente de todos os meus outros relacionamentos.
Adorava não querer vir embora, não querer ficar longe, ter sempre um assunto, passar horas só se olhando.
Eu adorava tanta coisa que já não existe mais.

Repare que tudo que foi citado, está no passado. O que te faz bem hoje? Lembranças? Apego ao que era e nunca mais vai ser? A falsa esperança de que um dia tudo volte a ser como era?


Sei lá, as vezes acho que nem os sentimentos são mais os mesmos. E por mais que doa pensar sobre isso, talvez eu esteja presa a pessoa errada.
Mas vamos lá, ainda falta uma parte:

O que me faz mal
Me fazia mal o tanto que ele mentia, todas as histórias, magoas, discussões que marcaram.
Me faz mal a consequência dessas mentiras, a falta de confiança, as cicatrizes que ficaram.
Me faz mal não sentir que existe sentimento de verdade. Achar que estamos juntos por conveniência  Acreditar que, por mais que eu tenha feito por ele, nada nunca vai ser como eu esperava.
Machuca sermos e pensarmos tão diferente. Ele ser tão imaturo, sonhar com coisas tão "pequenas".
Machuca ele não saber administrar seus sonhos, dar prioridade pro que realmente tem. Agir feito adulto, ser homem de verdade.
Dói ele não saber resolver uma briga, ter uma conversa séria. Se abrir e expor o que sente.
Dói a cada fuga das conversas, a cada grosseria dita. A cada atitude idiota.
Dói saber que por mais tempo que faça, nosso relacionamento não tem intensidade alguma.
Me incomoda o fato dele não ser decidido, não saber o que quer, o que é certo, o que deve fazer. Ser irresponsável com tanta coisa, inclusive financeiramente. Ter "sonhos" de um moleque de 18 anos e achar que isso é o certo.
Machuca mais ainda o fato de todas as coisas que me faziam bem, e que me fizeram querer estar com ele, terem deixado de existir.
Machuca saber que mal nos falamos hoje em dia, que quase não temos assunto. Que não nos mantemos mais por dentro da vida um do outro. Machuca não me sentir a vontade pra ligar, pra mandar uma mensagem de bom dia, ter percebido que todas as coisas que eram normais antigamente, hoje, não são nem raridades. Simplesmente, não acontecem.
Dói saber que o que me fez gostar dele, agradecer tanto por ser diferente, hoje, não passa de uma lembrança. Algo que sinceramente, não vale mais a pena lembrar.
Dói perceber que toda aquela empolgação acabou e que não restou nada além de duvidas e aquela mesma e velha pergunta: por que?


terça-feira, 11 de setembro de 2012

Sinto sua falta..

... todos as noites antes de dormir, todas as manhãs antes mesmo de acordar. Sinto falta do abraço, do sorriso, das lutinhas, de brigar por brigar. Sinto falta até do impossível, desde que você esteja lá. Sinto falta do momento em que você entrou na minha vida, de todas as mensagens e empolgação, de todos os medos e receios, do momento em que você se tornou tão essencial. Sinto falta, principalmente, de não sentir tanta falta! Sinto falta de toda aquela confusão, de todos os sentimentos intensos e sem fim, da necessidade exaustiva de ficar com você! Sinto falta de tudo, desejo, um beijo, qualquer coisa que me traga você. Do perfume que ficou na roupa, do abraço e do cansaço, de simplesmente adormecer olhando pra você. A pior parte é que essa falta fica maior a cada dia. E eu não sei se essa falta tem limite, não sei se tanta falta é algo bom ou ruim, só sei que longe de você os meus dias não são completos e meus sorrisos ficam incertos. Quem vai me dá um beijinho na testa todas as noites antes de dormir? Fazer uma conchinha tão apertada que me deixe sem medo do escuro? Me acordar de madrugada só pra me chamar de linda? Me emprestar a meia e a blusa de frio na hora de dormir? Descer pra buscar água ou me levar até o banheiro? Quem vai me abraçar quando eu tiver medo? Ou bancar meu super-herói quando eu não conseguir dormir? De quem vai ser o coração que eu vou sentir batendo junto com o meu? Quem vai me levar café da manhã na cama? Fazer aviãozinho com o meu almoço? Fazer pipoca as 3 da manhã ou comprar geleia de morango só porque eu tô com vontade? Quem vai baixar todos os filmes do mundo, dos mais chatos aos mais legais, e aguentar assistir comigo mesmo que pela milésima vez? Quem vai aguentar meus desenhos, meu amor por ursinhos de pelúcia e todas as outras coisas que fazem de mim uma criança que cresceu demais? Quem vai manter a calma nos meus surtos, ter paciência com as minhas confusões, me abraçar e me desligar do mundo? Quem vai se preocupar e se importar tanto? Ligar pra dizer que tá com saudade, mesmo tendo acabado de me ver? De quem vai ser o bom dia/boa noite que eu mais vou querer receber? Quem vai me dá presente surpresa? Fazer de tudo pra me surpreender? Fazer palhaçadas pra me fazer sorrir? Aguentar olhar mil vezes os mesmos sapatos no shopping? Quem vai me deixar toda roxa depois de uma lutinha, toda arranhada de tanta "cosquinha", toda dolorida de beliscão e mordida? Com quem eu vou conhecer tantas coisas novas, criar coragem pra enfrentar meus medos, ter vontade de nunca desistir? Quem vai me aguentar cantando pagode, ou músiquinha de criança pentelha, ficar numa fila de mais de 5 horas, fazer dos piores aos melhores passeios? Quem vai comer até não conseguir se mexer, dormir até a coluna não aguentar, rir da minha costela no "cocks"? Quem vai brincar de Pulmão e Timba, apelar pra Ohana a cada briga e aguentar todos os meus bicos e mimos? Com quem eu vou dividir todos os meus momentos, sonhos e medos? Quem eu vou deixar me conhecer tão bem, como eu deixei você conhecer?


Ninguém conheceu tanta coisa de mim como você. Nunca, ninguém, chegou tão longe... O fato é que, mesmo com tanta coisa por vir, eu nunca me revelei tanto pra alguém. Nunca deixei ninguém se aproximar, como você se aproximou. Me conhecer, como você conheceu. Saber, tudo o que você soube. E em tão pouco tempo, se tornar tão importante como você se tornou. Mas com você, desde o principio, tudo foi diferente. Sempre! E eu sinto falta só de pensar que um dia tudo isso pode não mais existir.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Dormir de pijama;

Mais do que curtir aquele filme tomando um vinho chileno, jantar à luz de velas, dançar bolero, transar e dormir abraçados, ela quer acordar ao seu lado. Ela quer que você a veja descabelada, sem maquiagem e de mau humor. Cuidado – ela quer que você a conheça. Ela vai usar seu poder de sedução até a exaustão, da forma que quiser. Ela vai usar aquela lingerie sensual para te deixar louco por ela, vai abusar das sutilezas da sedução para te levar pra cama e fazer amor como nunca antes. Ela vai tirar a roupa e vestir novamente usando todos os truques de strip chic que já aprendeu. Vai preparar o café da manhã de tal forma que faça ter aquele cheiro de infância e faça você se sentir cada vez mais em casa. Mas ela também vai te mostrar que é humana e antes de dormir vai colocar o pijama. Você vai perceber que ela não precisa estar com roupas sensuais o tempo todo para ficar linda. Vai descobrir que a beleza dela é muito maior do que você imaginava. Vai perceber que ela confia em você. Vai ver que ela se tornou um livro aberto e espera que você a leia, inclusive nas entrelinhas. E mais que tudo isso, você vai descobrir que ela te ama para confiar na ausência de estereótipos e convenções culturalmente impostas. Ela vai dividir coisas com você. Vai contar histórias de infância, seus medos, suas vitórias, suas pequenas mentiras e seus grandes fracassos. Ela pode chorar, pode rir, pode te levar pra banheira, pode sentar no sofá para ler um livro enquanto você joga videogame ou jogar também. Ela pode te olhar durante muito tempo para ter a certeza de que não está sonhando. Ela pode dizer que te ama infinitas vezes, sem que pareça o suficiente. Por isso, quando ela for ela, seja você. (Mulheres têm essa mania de querer se esconder nas roupas, maquiagens, cabelos e lingeries, com medo de se entregar. Isso está entre as mentiras que contam a elas mesmas.) Saiba que se ela dormir de pijama é porque te vê como alguém que vale a pena, além do sexo. Ela já é madura o suficiente para entender que a construção de um relacionamento não acontece só na cama e vê em você alguém que ela quer manter por perto, com quem ela quer acordar mais vezes sem passar frio dormindo com uma camisola que agrada apenas ao olhar. Ela quer ser mais que uma sex symbol, quer ser a sua mulher pelo tempo que o amor durar. 


Texto original publicado em: http://www.casalsemvergonha.com.br/2012/07/06/perigo-ela-vai-dormir-de-pijama/

domingo, 9 de setembro de 2012

Tomara;

Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo. Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso. Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades, mesmo que as mentiras e as verdades sejam impermanentes. Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito. Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria. Tomara que apesar dos apesares todos, a gente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de se sentir feliz.


- Caio F. Abreu.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Pensamentos perdidos;

- Sinto sua falta..
- Não, não sente..
- Como, depois de tanta coisa, você ainda pode dizer isso?
- Como acreditar que você sente minha falta, se você sempre foge? A verdade é que você não se importa..
- Eu me importo sim, muito!
- Não, não se importa! Você não gosta mais de mim... 
- Quem dera fosse simples assim..
- Desde quando quem some se importa?
- Eu também sempre pensei assim..
- Então, é simples, não é?
- Não, não é.
- Como não é? Se você se importa, você fica. Quando não se importa mais, você se vai...
- Mas eu não consigo ir...
- Não consegue, mas sempre vai..
- Mas eu também sempre volto...
- E o que adianta?
- Nada...
- Então..
- Eu não quero mais partir..
- Então tenta ficar.
- Não dá..
- Tá vendo? E você ainda quer que eu acredite?
- Você também sempre parti...
- Eu? Agora o culpado sou eu?
- Nós dois somos culpados..
- Não, você é a culpada. Você vive partindo, você vive fugindo, você não quer mais me ver...
- Alguma vez você fez o contrário?
- Não..
- Então, como eu vou acreditar em você?


segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Talvez seja isso;

Ficar bem nem sempre deixa outras opções. É estranho quando as coisas simplesmente têm de terminar. É o estágio onde todos os sentimentos já evoluíram para um nada. É o nada que você optou para parar de sentir dor. No início você briga, chora, faz drama mexicano. Então percebe que é cansativo demais manter esse jeito de levar as coisas. Acostuma-se… Não que pare de doer, mas que cai no seu entendimento que às vezes perdemos algo e não há solução. No fim você coloca um sorriso no rosto e finge que é sincero, até que a vida o faça realmente ser. Talvez os amores eternos sejam amenos e os intensos, passageiros. É isso.


- Caio F. Abreu